quarta-feira, 23 de março de 2011

Tristeza Matinal - Kamilla Santos


Fotografia - Porão
figurino, produção e idealização da foto by Kamilla

Tristeza Matinal


Minha tristeza matinal é cheia de visões...
É quando a consciência ganha asas,
E não se é um ponto isolado na noite.
Não! Estou desperta e distante como o horizonte!
E minha consciência não quer se dispersar em sonhos!

Minha tristeza corre até os limites da visão! E contamina o mundo...
Montanhas choram, árvores se curvam;
Assim como eu que, com meus sentidos me perpetuo
E me derramo pelo mundo; o mundo com sua luz me invade e me retira do eixo..
E me quedo junto aos meus conceitos diante da grandeza das coisas e da
Necessidade de uma outra linguagem
Que se derrame tal qual sensação e percepção...

Mas nas manhãs há sempre sobre olhos cansados
Um pouco de esperança; (para bem ou para o mal!)
Há uma promessa de libertação
E integração na existência...
“Pois olhar o horizonte é ser o horizonte!”

Não obstante nossa tristeza,
Há sempre o desafio de recomeçar.
Mesmo quando por dentro tudo se finda e
Tudo é ocaso...
A natureza se perpetua sem culpa:
Brutal e harmoniosamente!
E a manhãs?
Elas nos invadem com seu absurdo concreto
E embebedam nossas dores como um ópio
Que entorpece nossos sentidos!

Kamilla Santos

Um comentário:

  1. Vânia Ferreira Veras28 de março de 2011 23:08

    Muito lindo, muito íntimo, muito secreto. Adorei!

    ResponderExcluir