quarta-feira, 14 de abril de 2010

Luz Del Fuego

Ilha do Sol em Tapuama de Dentro -na baía de Guanabara perto de Niterói (RJ)

Dora Vivacqua nasceu em 21 de fevereiro de 1917, em Cachoeiro do Itapemirim no Espírito Santo.Nos anos 20 se muda para Belo Horizonte, onde frequentaria o serpentário do Instituto Ezequiel Dias. Desde sua adolescência demonstrava personalidade forte e independente.


Gostava de usar sutiã e improvisava um biquini com lenços e desfilava nas praias de Marataízes.
Uma adolescência cheia de turbulências, traumas, romances e internações em hospitais psiquiátricos. Com 15 anos seu pai fora assassinado em Cachoeiro do Itapemirim.
Apenas três folhas de parreira presas nos seios e no púbis e duas cobras-cipós como braceletes numa época em que isso tudo no mínimo era indecente e marginal.

Com 20 anos começa um curso de dança na academia Eros Volúsia.
Com 27 anos estréia como Luz Divina no palco do picadeiro do Circo Pavilhão Azul. Luz Divina e suas incríveis serpentes, um casal de jibóias Cornélio e Castorina.
Luz Divina, por sugestão do amigo e palhaço Cascudo, mudaria o nome para Luz del Fuego, nome de um batom argentino recém-lançado no mercado.
Luz del Fuego criou o "Partido Naturista Brasileiro" em 7 de Setembro de 1949.



Em 20 de Novembro de 1954,Luz del Fuego criou no Rio de Janeiro o "Clube Naturista Brasileiro".
Os princípios básicos do Partido e do Clube eram: "estimular a prática do Naturismo, sob rígidos princípios morais e de higiene".



Suas falas - que ela nunca decorava - ficaram sob responsabilidade de um jovem membro da família que, aos doze anos, ingressava na carreira artística: Daniel Filho.

Durante a Segunda Guerra haviam treinamentos de blackout que deixavam Copacabana às escuras, “preparando-se para imaginários ataques dos inimigos”.

Luz então publica seu diário com o título de Trágico Black-Out. Trechos comprometedores, como a sedução pelo cunhado, e fatos que aludiam a uma prostituição assumida.

A Verdade Nua, também autobiográfico e no qual lançava as bases de sua filosofia naturista. . O dinheiro serviria para arrendar uma ilha na qual instalaria a sede de seu clube naturalista.





As idéias naturalistas de vegetarianismo e nudismo apresentados em seu segundo livro começavam a ser colocadas em prática. “Um nudista é uma pessoa que acredita que a indumentária não é necessária à moralidade do corpo humano. Não concebe que o corpo humano tenha partes indecentes que se precisem esconder”.

















Chegou a ser capa da revista Life, nos Estados Unidos.

Doava rendas de seus espetáculos para instituições beneficentes fazendo leilões de si mesma.

Luz no Cassino Atlântico (RJ), em 1950


No dia 19 de julho de 1967 os irmãos Alfredo Teixeira Dias e Mozart “Gaguinho” armaram uma emboscada para Luz del Fuego, ato de vingança contra Luz por tê-los denunciado à polícia pelas suas ações criminosas. Fizeram o mesmo com o caseiro Edgar. Até hoje não se tem esclarecimentos sobre esse crime.

"Naquele tempo talvez fosse mesmo dificil de aceitar de uma mulher, que dentre outras coisas, pregava o nudismo e a volta a natureza.

Hoje ja quem diga que luz del fuego foi uma pioneira, a primeira mulher verdadeiramente liberada no brasil.

A jovem que desprezou o importante nome de familia para fugir com um trapezista de circo e que depois pelo resto da vida zombou dos costumes e das tradições que considerava hipócritas.

Há 14 anos ela morreu assassinada na ilha do sol um antigo campo de nudismo onde dois pescadores, imaginavam, como a maioria das pessoas, que iriam encontrar um ambiente de muitas orgias, muito sexo e muito dinheiro, mas onde havia apenas uma mulher de 50 anos de idade, uma sonhadora solitaria, nua e finalmente vencida.

Hoje essas cenas são um documentario muito raro de 1949, a dança de luz del fuego um convite à imaginação de milhares de homens apaixonados por ela."


Livros e Publicações


Trágico Black-Out -por Luz Del Fuego - 1947

A Verdade Nua- por Luz Del Fuego - 1948

"A nativa solitária" de Rômulo Person- filme de 1953

"Luz Del Fuego", de Aguinaldo Silva e Joaquim Vaz de Carvalho- 1982

Luz del Fuego - A Bailarina do Povo, de Cristina Agostinho - 1989
A Verdadeira Luz del Fuego deThiago de Menezes

6 comentários:

  1. Bere, muito massa o blog. Estou adorando. Inclusive esta mulher e sua ousadia(pela época) não eram a mim conhecidas. Gostei muito por tê-la conhecido um pouco.

    Beijos, Bk.

    ResponderExcluir
  2. Que legal, Beka, fico mto feliz por ter gostado.Sobre a Luz é mto dificil de pintar os filmes dela. Geralmente podem ser vistos em festivais. Nudista, bailarina e vegetariana, num pós guerra, bem surreal.bjs

    ResponderExcluir
  3. Luz Del Fuego quebrou tabus muito comuns nesta época, aliás a própria Rita Lee e a Hebe Camargo também sofreram perseguições quando disseram no ar, década de 60, que gostavam de sexo...as mulheres tinham que fingir que não gostavam de sexo, imagina a Luz Del Fuego...muito machismo...mas acho que ela exagerou andar nua e com uma cobra ...mas admiro ela mesmo assim.

    ResponderExcluir