segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Sótão - Poesia de Chacal


o sótao ficava entre o céu e o inferno,

uma escada nos ligava ao banheiro e ao mundo.

degraus silenciosos.

o telhado mostrava seus segredos

de um buraco eterno no teto.

um armário com todos os livros/chaves

guardava cumplicidade e cupins ruminados.

os filhos malditos disfarçavam em/cruz/ilhadas

bem queimadinhos.

o sol amanhecia esperanças

amarelas e vermelhas nas janelas antigas.

e a vida foi vivida como manda o figurino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário