sábado, 8 de janeiro de 2011

Elvira Pagã



Nos anos 30 as irmãs Cozzolino realizam um espetáculo de inauguração do "Cine Ipanema", junto com os Anjos dos Infernos ocasião em que recebem de Heitor Beltrão, o apelido de "Irmãs Pagãs". Em 1940 Elvira se casa e começa a carreira solo.



Elvira Pagã, pseudônimo de Elvira Olivieri Cozzolino, era de uma família pobre, de pai americano e mãe paranaense.
Escritora, cadeira nr. 12 da Academia Nacional de Letras de São Paulo, compositora, cantora, atriz, bailarina, vedete e pintora, na década de 50 e 60,  Elvira Pagã disputava com Luz Del Fuego as manchetes de jornais e capas de revistas, com audácia, sensualidade e provocação. Excursões por todo o Brasil com shows noturnos, em passeatas ou carros alegóricos, nas paradas de sucesso com marchas, sambas e baiões, tudo isso em meio a inúmeros processos e prisões.



Foi a primeira Rainha do Carnaval Carioca e levou o erotismo para os bailes de carnaval da época.Consta, que um dia, na praia de Copacabana, ela rasgou o maiô criando o famoso biquini , que na época só era usado no teatro rebolado.Foi também a primeira a fazer plástica nos seios, pousando nua depois  e distribuindo a fotografia como cartão de Natal.


Fez oito filmes ao todo, entre eles "O Bobo do Rei" (1936), "Cidade-Mulher" (1936), "Alô, Alô Carnaval" (1936), "Dominó Negro" (1939), "Laranja-da-China" (1940), "Carnaval no Fogo" (1949), "Aviso aos Navegantes" (1950) e "Écharpe de Seda" (1950).
 Lançou um livro chamado "Elvira Pagã -Vida e Morte". Com o pulso enfaixado  e o braço esquerdo paralisado, após tentativa de suicídio, esboça algumas frases desse livro: " O riso é dor! e A dor é riso - O mundo é éter! O éter é vida, e a vida é gozo... O gozo é o final".




Conhecida no exterior como The Original Bikini Girl e The Brazilian Buzz Bomb, arrebatava paixões enchendo os cabarés e teatros.O perigoso bandido Carne Seca forrou a sua cela com fotos dela, recortadas de jornais e revistas. Em uma foto usando uma pele de onça, fez a dedicatória: “Para Carne Seca, um consolo de Elvira Pagã”. Nos anos 60 ela se retira da vida artística e social. Criou então a "Doutrina da Verdade", uma seita ligada a discos voadores e à Atlântida. Faleceu em 2003 aos 82 anos.




"...Não havia entretanto tempo a perder! Só tive tempo de agarrar um dos meus biquinis e desaparecer... Uma enorme pedra à beira de uma praia santista foi o meu esconderijo. Meus companheiros: o sol e a lua... A imprensa em geral não parava de falar de mim um só dia, assim como as emissoras de rádio do país. Eu entretanto havia conseguido escapar, escondida dentro da mala do carro. Não foi nada agradável, aquele passeio entre os pneus sobressalentes do veículo e quase sem poder respirar... No meio de toda esta confusão, eu compunha um samba, sozinha, longe de tudo e de todos..."




Algumas manchetes da época:
-Elvira Pagã atacada por um tarado no interior do camarim.
-Repelido pela vedete o policial depravado - em represália foi presa.
-Elvira Pagã cria um caso político.
-Sou uma vítima da hipocrisia.
-Barbaramente espancada Elvira Pagã.
-Elvira Pagã cumprirá pena da penitenciaria de SP - A beleza feito mulher.





Nenhum comentário:

Postar um comentário